Primeiras Informações

Minha foto
Meu nome é Mônica Valéria; Saber seu significado me trouxe Iaromila. Portanto, desde 2005, este é o meu nome profissional: Mônica Valéria Iaromila. Minha atuação é Arteterapia e Educação. Sou uma cuidadora, e nesta palavra cabe amor, poesia, encantamento e luz. Considero-me um veículo para que as pessoas saibam qual é o seu próprio sol, transformem o que é possível, fazendo-o brilhar com a força que lhes é própria. Como James Hillmann afirmou "estou humildemente a serviço da Alma". Trabalho com crianças a partir de 10 anos, adolescentes, jovens, adultos e idosos. Em grupos e individualmente. Ofereço cursos, palestras e oficinas e participo de projetos que considero válidos. Arteterapia - Arte para a Vida, na Vida e pela Vida - Criatividade, Cuidado & Acolhimento - Atendimentos na Tijuca - Telefone: (21)3063-1596; E-mail: monica.iaromila@gmail.com

OMINIBU pode significar águas profundas ou poço. São cinco blogs que estão contidos nessa fonte:

O Ominibu propriamente é a porta de entrada, onde encontrar-se-á crônicas, poesias, explicações sobre arteterapia, blogs e sites amigos, textos que me são importantes etc.

Naima - poesias e prosa: http://naima-imagens-poesias.blogspot.com/

Informações sobre arteterapia: http://www.iaromilamv.blogspot.com

http://www.propostasdoespaco-arteterapia.blogspot.com

O "Descaramujando" traz informações sobre minha pessoa e formação, além de textos: http://escritosmeus-escritosproximos.blogspot.com/

No blog Aprendizados são encontradas propostas de cursos, informações sobre Calatonia e Reiki. aprendizados

Mais umas palavrinhas...

Passamos a vida aprendendo a Ser e Viver nossa Essência. Vivenciar o presente plenamente é o nosso desafio. Temos a oportunidade diária de Renovação, uma de nossas dádivas. Ser é o que basta, viver na Presença, construindo um relacionar-se baseado nessa premissa. Os encontros possibilitam entrega, confiança e o compartilhar - embora sejamos autosuficientes, somos seres relacionais. Quebrar as ilusões que nos separam do todo parte de uma crua compreensão que somos sós, mas somos Um. Tenho esperança na construção de um mundo mais equânime, no qual todas e todos possam estar bem consigo mesmas(os), bem nas suas peles. É um bom combate, feito através do afeto, da veracidade e dos saberes que me perpassam.

Diante da água profunda, escolhes tua visão; podes ver à vontade o fundo imóvel ou a corrente, a margem ou o infinito; tens o direito ambíguo de ver e de não ver; tens o direito de viver com o barqueiro ou com uma nova raça de fadas laboriosas, dotadas de um gosto perfeito, magníficas e minuciosas. A fada das águas, guardiã da miragem, detém em sua mão todos os pássaros do céu. Uma poça contém o universo. Um instante de sonho contém uma alma inteira. (...) O passado de nossa alma é uma água profunda. (Gaston Bachelard)

Mônica Valéria Iaromila - Arteterapeuta (AARJ 213); Psicoterapeuta Corporal em Análise Psico-Orgânica e Psicologia Biodinâmica -(CEBRAFAPO/EFAPO Brasil-França);
Segundo Ano de Formação em Aromaterapia pela Penny Price Academy - Brasil (Vera Guedes)-Inglaterra; Período: 2013-2016. Mestre em História - Bacharelado e Licenciatura em História - UERJ; REIKI e terapia vibracional e energética;
Calatonia - formação continuada.



domingo, 19 de abril de 2009

Palavras de minha amiga Ana Zanelli sobre Susan Boyle

A Ana expressou seu sentimento em relação ao já comentado evento da Susan Boyle. Eu vi o referido vídeo no youtube hoje, pela primeira vez... A voz dela me emocionou. É algo que ela tem e pronto. Sem explicações. Eu gostei muito do comentário da Ana, por isso, divido com vocês:

É interessante observar. Claro, começo sempre por mim mesma. Em uma semana, recebi este e-mail 8 vezes de diferentes pessoas, para quem o envio de volta como uma resposta de gratidão por me ter propiciado a reflexão. Embora banal e periférica, minha reflexão fez-me bem.

Como esta senhora lavou a alma de tanta gente, não?

É como se cada um de nós que passa este video adiante estivesse tirando uma desforra da vida: qual a humilhação que nós sofremos? Nós nos julgamos feios? Velhos? Desempregados? Temos sonhos não realizados? Somos velhos para os nossos sonhos? Alguém em quem confiávamos zombou de nós? Já fomos humilhados publicamente? Não temows tido coragem de fazer o que precisamos fazer pra nós mesmos? Tudo o que esta senhora vive neste vídeo (que, digo de passagem, não me parece espontâneo; quase certo que seja cena montada... como tudo no show televisivo...) traz uma emoção qualquer que é nossa mesmo... O mesmo eu poderia dizer para quem o deletou (ou guardou) e disse: "Arre! tudo armação!"

A maioria disse: "Olha isto! Não devemos julgar pela aparência! Não devemos julgar o que não conhecemos! (ou, simplesmente...) Não devemos julgar!" O que foi o mesmo que dizer: "Não queremos ser julgados pelas aparências!"

Se quiser, veja de novo. Eu localizei várias cenas parecidas em minha vida... Será que você localiza também?

Beijos para todos.
Ana

A desempregada Susan Boyle não é nenhum modelo de beleza, mas teve coragem para enfrentar o júri ferino e a platéia debochada do programa "Britain's got talent", no último sábado. Recebida com risos e desconfiança, por conta de sua aparência, ela calou a todos quando começou sua interpretação de "I dreamed a dream", do musical "Les miserables". O vídeo de cinco minutos e pouco, com o antes e depois de sua apresentação é atualmente o maior sucesso do Youtube - até a tarde desta terça-feira, já havia sido visto mais de 2,5 milhões de vezes.
- Qual é o seu sonho? - perguntou o apresentador Simon Cowell, que também costuma maltratar candidatos do outro lado do Atlântico, no "American idol".
- Tentar ser uma cantora profissional - respondeu Susan, de 47 anos, com um sorriso no rosto, diante de assovios do público e caretas irônicas dos jurados.

Para assistir click no link abaixo.
http://www.youtube.com/watch?v=RxPZh4AnWyk&NR=1

A Ana Zanelli é professora e tem um trabalho de longa data chamado Oficina da Palavra, que mescla produção de texto e processo terapêutico através do ato de escrever, de "soltar" a escrita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário